domingo, 21 de agosto de 2016

PSDB IMITA OS TRAPALHÕES NA CORRIDA PELA SUCESSÃO DE 2018

Charge do Cazo
Carlos Chagas
Continua o PSDB disputando o troféu um dia patrocinado por Dedé, Didi, Muçum e Zacarias, de saudosa memória. Depois de quatro horas de conversa com o presidente Michel Temer, os dirigentes tucanos resumiram suas reivindicações: esvaziar a bola do  ministro Henrique Meirelles para que ele não se torne candidato do PMDB à presidência da República.

São realmente uns trapalhões. Em vez de decidir quem será seu candidato, e começar a prepará-lo, o PSDB tenta enfraquecer possíveis concorrentes. Insurge-se contra o ministro da Fazenda dentro do raciocínio de que, se a economia for recuperada, ele será candidato natural.  Preferem seus caciques, então, o fracasso da política econômica, tanto que reivindicaram participar dela. Pressionaram Michel Temer não só para dar-lhes um lugar na mesa das decisões, mas também para perturbar Meirelles. Não chegarão a lugar algum na corrida sucessória, se em vez de selecionar seu candidato, ficarem tentando eliminar adversários.

Começa que o ministro da Fazenda nem pertence ao PMDB. Já foi do PSDB, quando se elegeu deputado federal, mas preferiu cair fora para presidir o Banco Central. Enfrenta olímpico desafio, agora, ao chefiar a política econômica. Caso tenha sucesso, lançar-se candidato será para bem mais tarde.

Os tucanos deveriam escolher seu preferido entre Aécio Neves, Geraldo Alckmin e José Serra, sem se preocupar em queimar Meirelles. Caso contrário, ficarão voando sem rumo. 

Fonte: Tribuna da Internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário