sexta-feira, 5 de agosto de 2016

SE DILMA ROUSSEF RENUNCIAR, RESOLVE TUDO

Charge do Neilton
Carlos Chagas

Michel Temer espera poder comparecer à China, a 4 e 5 de setembro, como presidente definitivo, para a reunião do G-20. Estará com os chefes de governo dos países mais desenvolvidos do planeta. Caso não tenha sido votado o afastamento definitivo de Dilma Rousseff até o momento  de embarcar, dois dias antes, permanecerá no Brasil, enviando José Serra em seu lugar. No caso, ministro também  interino, sem a legitimidade necessária para anunciar disposições e participar de acordos.

Não será propriamente um vexame, mas quase isso. No Senado, é grande a reação. Afinal, está mais do que confirmada e sacramentada a degola de Madame. Pelo jeito já são 61 os senadores dispostos à cassação de seu mandato, quando 54 seriam necessários, mas por enquanto não há certeza da data da votação. Nossa  performance na China poderia servir de início de uma nova fase, marcando a recuperação da imagem nacional no concerto das nações.

Se Temer puder comparecer, seu pronunciamento seria penhor de novos tempos, depois de tanta lambança verificada nos anos Lula e Dilma. Mas se ficar moralmente impedido de deixar o país, por falta de legitimidade,  estaremos ocupando lugar de segunda categoria.

COM LEWANDOWSKI – Está nas mãos do presidente do Supremo Tribunal Federal decidir a questão. Ricardo Lewandowski poderia, sem atropelar a Constituição, apressar o rito e os prazos do processo de impeachment, em seu capítulo derradeiro. Depende também do presidente do Senado, Renan Calheiros, encurtar o período. E depende até mesmo de Dilma Rousseff, pois se renunciasse agora, encerraria a questão e Temer viajaria para a China.

Como estamos no Brasil, onde se complicam as questões mais simples, tudo pode acontecer. É bom atentar para o exemplo de Fernando Collor, que ao invés de ter sido cassado, como se difunde até hoje, renunciou.  Não se livrou do processo, por intransigência do Senado, mas agora poderia ser diferente.  Em especial, por conta de nos livrarmos do vexame internacional.


Fonte: Tribuna da Internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário