quinta-feira, 15 de setembro de 2016

13.09.2016 - COLMAR

Voltamos a passear pela cidade com o fim específico de explorar a região dos canais, também conhecida como Petite Venice ou Pequena Veneza. É um passeio de barco (pequeno) com a duração de apenas trinta (30) minutos e sem muitos atrativos. Mesmo assim foi uma experiência interessante.






Colmar ficou conhecida por ter sido o lugar onde nasceu Frédéric Auguste Bartholdi, idealizador da Estátua da Liberdade, monumento que a França deu de presente aos Estados Unidos em 1886. A casa em que morou nos primeiros anos de vida abriga um museu que repassa seus principais trabalhos.


Almoçamos e depois partimos para ver e rever outras cidades da Rota dos Vinhos da Alsácia, a começar por  Ribeauvillé. Com um céu azul, sem nuvens, mas com uma temperatura superior aos trinta (30) graus, é impossível explorar todos os belos cantos da cidade. Fomos alternando uma parada na sombra com uma garrafa d'água e quando encontrados, ambientes com ar condicionado.







Embora a arquitetura se repita a cada cidade, as flores fazem a diferença. Encerrada a visita fomos para Riquewihr. No caminho (Rota dos Vinhos da Alsácia), parreirais a perder de  vista.

Fomos reconhecendo lugares por onde andamos e mesmo repetindo a visita fomos encontrando visuais novos. A cidade foi gratificada com o título de um dos mais belos vilarejos da França (plus beaux villages de France). Um dos pontos importantes desse vilarejo é o dolder, uma torre erigida em 1291 que vigia as muralhas da extremidade superior da cidades e cujo nome significa topo.










Agradável por sinal, em todos os sentidos, foi entrar numa loja dedicada a venda de produtos natalinos. O ar condicionado estava funcionando muito bem. Enquanto percorríamos os vastos corredores conseguimos esquecer o calor que fazia lá fora. Nesta região, as feiras de Natal são muito famosas e os artigos de decoração mais ainda. Como normalmente neste tipo de comércio não são permitidas foto, arrisquei-me apenas uma vez.

Finalmente rumamos para  Kaysersberg, onde também estivemos há alguns anos. O ritual se repete: sombra, água fresca, e o encontro de turistas com quem cruzamos em outras cidades. Parece que todos temos o mesmo pensamento.



Com relação a Kaysersberg faço um registro interessante: Junto a um passeio público encontramos uma área privativa para os cães fazerem suas necessidades, como mostram as fotos abaixo.



Só não sei se os destinatários aprovaram a idéia. Já no final da tarde rumamos para o nossa Chambre D'Hôte para um merecido descanso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário