domingo, 16 de agosto de 2020

O PRATO DO DIA

O PRATO DO DIA

Adaptar-se à comida em lugares que não conhecemos pode resultar em frustração. Embora, não seja tão difícil encontrar um Mc Donald ou um restaurante italiano. Um "xis"-qualquer coisa ou uma pizza, na hora do aperto, resolvem o apuro, ao menos temporariamente.

Mas há situações em que pelos horários apertados, ou pelas barreiras normais do idioma, nem sempre é possível localizar um estabelecimento quebra-galho.

Para esses casos, o prato do dia é uma boa pedida. A começar pela facilidade em pedir - é só apontar - e pela rapidez quanto ao serviço. Geralmente o prato do dia tem preços bem amigáveis e a qualidade é razoável. Basta ver o número de nativos na mesma balada e não corremos riscos.

Foi o que aconteceu no interior da Suécia. Parada técnica para o almoço numa pequena cidade. Se todos os integrantes da excursão forem ao mesmo lugar, com certeza alguém ficará atrasado. Outros dirão que foram mal atendicos, etc.

Seguindo nossa intuição, fomos em busca de um restaurante mais sossegado. Uma rápida passada de olhos, possibilitou identificar um restaurante e que ali tinha o prato do dia. O anúncio, estrategicamente colocado ao lado do cardápio, já na entrada do restaurante, não deixava dúvidas.

A dúvida era saber que comida seria servida, pois como se pode ver - não ler - era uma incógnita total. Alguma coisa sempre pode ser deduzida: champignons e batatas eram ingredientes certos.

Resumo: acertamos em cheio. Comidinha caseira, com carne ao molho, purê de batata e experimentamos o sabor do lugar, o que sempre alarga os nossos conhecimentos.

Saímos satisfeitos por termos passado por mais uma prova de sobrevivência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário