quinta-feira, 6 de outubro de 2016

NÃO TROPECE NA LÍNGUA


EM QUE PESE A/À + SOLUÇÃO DE CONTINUIDADE
Roberto de Carvalho, de Salvador/BA, costumava escrever assim: “em que pese o fato, em que pesem as circunstâncias”, mas surpreendeu-se ao encontrar numa publicação a locução prepositiva: “em que pese às dificuldades e em que pese ao temporal”.

Há diferença entre elas? Não de sentido, mas de sintaxe. No primeiro caso você flexiona o artigo e o verbo pesar de acordo com o substantivo próximo:
  • Em que pese o temporal, houve jogo.
  • Em que pese a chuva, houve jogo.
  • Em que pesem os problemas financeiros, devem continuar a viagem.
  • Em que pesem as circunstâncias, continuaram a viagem.

No segundo caso, o verbo pesar mantém-se no singular, seguido da preposição a, que pode fazer a contração com o artigo definido:
  • Em que pese a tantos problemas, eles largaram o emprego.
  • Em que pese ao temporal, houve jogo.
  • Em que pese à chuva, sairá o piquenique.
  • Em que pese aos problemas financeiros, compraram carro novo.
  • Em que pese às dificuldades, fizeram a festa.

 Explicação para os dois usos:

EM QUE PESE A é a locução clássica; foi usada por Gonçalves Dias, Alexandre Herculano, Garret e outros autores portugueses e brasileiros. O seu sentido se origina do verbo “pesar” = incomodar, doer, magoar. Ou seja, a expressão quer dizer “ainda que cause pesar a alguém, ainda que lhe custe ou que contrarie sua opinião”. O som do e é fechado: em que pêse a... Era mais usada em relação ao pesar das pessoas: “Em que pese (isso) ao rei, faremos a invasão” ou “Só Deus é Deus e Mafoma o seu profeta, em que pese isto aos incréus” (Gonçalves Dias). Entretanto veio a ser usada também em relação a coisas, daí o “em que pese ao temporal/ às dificuldades” etc.

EM QUE PESE(M) substitui a forma arcaizada, tomando o verbo o sentido de “ter peso” = valor, importância, valia, influência. Portanto, quer dizer: ainda que (isso) tenha peso, importância; apesar disso, farei aquilo. O e tem pronúncia aberta: em que pése a chuva...

Em resumo: tratando-se de pessoa, a palavra pese deve ficar invariável e acompanhada  da preposição a (em que pese à família enlutada/ aos incrédulos);  quando se tratar de coisa, pode ser feita a flexão (em que pesem as dificuldades/ em que pese o temporal).

SOLUÇÃO DE CONTINUIDADE

--- A expressão “sem sofrer solução de continuidade” está correta? Como se justifica? Existe algum dicionário de expressões? Rosa, São Paulo/SP

Pode-se encontrar esse tipo de locução num dicionário comum. No caso, procurar no verbete “solução”, palavra que entre outras coisas tem o significado de “separação das partes de um todo, divisão, interrupção, dissolução”.

Assim, “sem [sofrer] solução de continuidade” seria o mesmo que “sem interrupção da continuidade”, o que quer dizer “sem descontinuidade”. Quando quer se expressar a vontade de que não haja interrupção de um trabalho, pode-se escrever: “Esperamos que não haja solução de continuidade” .

Fonte: www.linguabrasil.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário