terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

ROMANCE FORENSE

A porta de entrada e a porta de saída

A ´radio-corredor´ da OAB-RS, é sempre bem atualizada e propaga, entre outras coisas, a nominata de – vejam só – juízes que não gostam de processos. A mesma ´rádio´ ressuscita potins de outrora que sempre fazem graça.

Há poucos dias, um advogado gaúcho que faz frequentes incursões aos EUA falou, num intervalo da sessão do Conselho, sobre Roberto Carlos, o artista, suas manias e seus ´toques´ nervosos. Foi assim que se ficou sabendo que, certa vez, o cantor foi a uma missa numa igreja católica em Los Angeles, e passou tempo demais rezando. O padre encerrou a cerimônia, quase todos saíram, as luzes foram sendo apagadas, ficaram só Roberto e o sacristão.

Foi então que este fechou a porta principal da igreja.

Então, Roberto foi falar – em inglês - com o sacristão, pedindo-lhe que abrisse a grande porta. O auxiliar do padre respondeu, sucinto, que a porta lateral estava aberta...

– É que eu entrei pela porta principal e tenho absoluta necessidade de sair por ela – argumentou o artista.

– Já lhe disse, senhor, que a porta lateral está aberta. Pode sair por lá.

– Não! Não posso. Entrei pela porta da frente, tenho que sair por ela!

O sacristão que, naturalmente não conhecia o artista, ficou desconfiado. E chegando até a pensar em um terrorista enrustido, sentenciou:

– Saia agora, ou vou chamar a polícia!

Como Roberto Carlos sabia que nos EUA a polícia não deixa casos sem resolver, conformou-se e, desenxavido, saiu imediatamente pela porta lateral e foi para o hotel.

Voltou, então, cedinho no dia seguinte. Entrou pela porta lateral e saiu pela da frente.

Roberto, então, fez dez vezes o sinal da cruz e ficou em paz.

Estava desfeito o encantamento.

Fonte: www.espacovital.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário