terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

ROMANCE FORENSE

O drama do advogado honesto

Um dia desses, o sempre ativo Sérgio Souza Araújo, ex-escrivão (aposentado) da 7ª Vara Cível de Porto Alegre, navegava na Internet e digitou no Google a expressão “a honestidade dos advogados”.

Clic! Vejam para onde foi direcionado: ao Youtube, aparecendo a indicação “Advogado Honesto, música de Tião Carreiro e Pardinho”. Mais um clic e foi possível escutar o som (não há imagens) de uma composição produzida em 1980, pelos dois artistas.

Araújo compartilhou a informação com o editor do Espaço Vital e a redação conseguiu recuperar a história dos dois músicos-compositores.

Em 1954, Tião Carreiro conheceu Pardinho no Circo Rapa Rapa, em Pirajuí (SP), quando Tião ainda tinha o pseudônimo de Zé Mineiro. Lá, eles cantaram juntos pela primeira vez. Em 1956, resolveram tentar a sorte em São Paulo, onde conheceram o então prestigiado compositor sertanejo Teddy Vieira que, ouvindo a dupla, rebatizou José Dias Nunes: ele passou a ser Tião Carreiro. Em novembro de 1956, eles gravaram o primeiro disco juntos.

A dupla Tião Carreiro e Pardinho ainda é tida – agora, 62 anos depois, como uma das principais da música sertaneja de raiz e inventores do pagode. Os dois chegaram a gravar 30 LPs, todos remasterizados em CDs, que continuam disponíveis em lojas.

Tião Carreiro faleceu em 1993; Pardinho em 2001. Este, depois da morte do companheiro, ainda seguiu carreira solo em shows e espetáculos circenses.

Deliciem-se com a letra, que revela o drama de um advogado que é procurado para atender uma ocorrência policial e, pouco depois, constata que seu filho é um criminoso – que está morto.


O Advogado Honesto

Um doutor advogado trabalhava
Com cadência.
Em seu trabalho mostrava
Sua grande competência.
Em sua sala de espera por todos
Tinha frequência.

Enquanto todos esperando,
Uma mulher foi entrando
Sem menos pedir licença...

Os filhinhos maltrapilhos,
Consigo ela levava
Cortando a frente dos outros
Ao advogado ela implorava.

E de joelhos no chão
A sua história contava:
Meu esposo pra defender
Matou para não morrer
Um ladrão que lhe assaltava...

O doutor pediu licença
A quem ali lhe esperava
Se foi para o necrotério
Onde o corpo se encontrava
Queria ter a certeza se morto
O rapaz estava.

Seu olhar perdeu o brilho
O ladrão era o seu filho
Que ele tanto estimava.

Voltando à delegacia
Contando toda a verdade
Quero ver o criminoso
Vou por ele em liberdade
Nem todo o dinheiro compra
Esta é a realidade.

Meu filho tinha de tudo
Dinheiro, carro e estudo
Mas não tinha honestidade.

Olhando pra este homem
Me sinto até humilhado
Vou defender seu marido
Um trabalhador honrado
Defender um pai de família
É o meu dever sagrado
Se eu perder essa parada
Na vida não sou mais nada
Por ser bom advogado...

O ex-escrivão Araújo elogia “as pérolas da letra da canção, que se realça pela simplicidade e muito bem reproduz a vida do advogado, batalhador, ético e honrado”.

Araújo ainda sugeriu que a letra poderia ser “publicada como uma homenagem a todos os abnegados profissionais da advocacia”.

O Espaço Vital acolheu.

O som da música

Para escutar “O Advogado Honesto”, clique aqui.

Fonte: www.espacovital.com.br


Nenhum comentário:

Postar um comentário