domingo, 22 de dezembro de 2019

TURÍBULO

O MAIOR TURÍBULO DO MUNDO

A partir do Século IV, a tradição cristã adotou o incenso em seus rituais de consagração e ainda hoje o queima para honrar o altar, as relíquias, os objetos sagrados, os sacerdotes e os próprios fiéis, e para propiciar a subida ao céu das almas dos falecidos no momento das Exéquias.

Desde o século IX, instaurou-se o uso do incenso no início da Missa e desde o século XI o altar se transformou no centro da incensação.O turíbulo era também levado na procissão junto com o evangeliário. Em seguida, a incensação estendeu-se às oferendas do pão e do vinho, que são incensadas três vezes em forma de cruz, da mesma maneira como se procede com o altar e a comunidade litúrgica.

O agitar do turíbulo em forma de cruz recorda principalmente a morte de Cristo e seu movimento em forma de círculo revela a intenção de envolver os dons sagrados e de consagrá-los a Deus. (www.coroinhassaomiguel.com.br)

A catedral de Santiago é superlativa até nos detalhes. O incensório, por exemplo, é o maior do mundo. Preso na cúpula, pesa mais de 50 quilos e precisa da força de oito homens para ser balançado sobre o altar principal, de uma ponta à outra das duas naves laterais. Hoje em dia, o turíbulo é usado só em ocasiões especiais, como em 25 de julho, dia de Santiago, mas na Idade Média o bota-fumeiro tinha utilização frequente. 

Sem uma grande quantidade de incenso, o ar na catedral se tornava irrespirável devido à presença de centenas de peregrinos que lá chegavam depois de caminhadas de até dois anos sem se lavar, como era o costume. Para saber mais sobre a Catedral de Santiago de Compostella clique aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário