terça-feira, 25 de abril de 2017

ROMANCE FORENSE

Charge de Gerson Kauer
Filmagem clandestina das pernas e das nádegas

Tarde de verão, o shopping da capital lotado, a jovem consumidora estava na fila dos caixas do notório supermercado. De repente, a jovem bonita sentiu - por baixo de seu largo, mas curto, vestido esverdeado – um toque diferente. Algo rígido atingia-lhe as coxas e, de imediato, um homem levantava-se, pretextando ter escorregado, ao abaixar-se para recolher a carteira com documentos que caíra de suas mãos.

Houve o estrilo, foi um auê, acorreram seguranças, o suposto tarado foi imobilizado, chamou-se a PM, todos foram à delegacia. Ali liberou-se o detido, porque não tinha antecedentes, mas apreendeu-se o seu celular, que foi à perícia.

O laudo pericial foi revelador: “constatou-se cinco rápidas e recentes filmagens, com imagens de baixa qualidade, tiradas de baixo para cima, mostrando as nádegas e a calcinha da possível vítima. Na mesma base de dados, foram encontradas fotos recortadas de revistas de mulheres desnudas e praticando sexo”.

O MP ofereceu denúncia, mas a sentença foi de improcedência da ação penal. É que a juíza entendeu “não comprovado que as coxas e nádegas filmadas fossem da moça que estava na fila do supermercado” e porque ninguém testemunhara a efetiva filmagem. Houve recurso de apelação do MP.

A câmara criminal concluiu, porém, que “a filmagem clandestina das pernas e nádegas da vítima, por baixo da saia desta, sem seu conhecimento e autorização, possui evidente caráter libidinoso, constituindo conduta de finalidade pornográfica”.

A pena foi de quatro anos de reclusão, regime inicial aberto, diante da primariedade do réu. A pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direito. Houve o trânsito em julgado.

Há quem diga que, nos seus 49 anos de idade, o suposto tarado teve sorte. Afinal, foi beneficiado pelo regime aberto, que o livrou de passar uma temporada – ainda que rápida – em infecto presídio gaúcho.

Talvez ele tenha aprendido a lição.

Fonte: www.espacovital.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário