terça-feira, 23 de maio de 2017

ROMANCE FORENSE

(Charge de Gerson Kauer)
Papagaio de bordel em casa de jurista

A esposa de um operador jurídico quer comprar um papagaio. Vai, então, à loja de animais, onde é atendida pelo jovem vendedor.

- Só temos um papagaio para vender, ele é bem falador. Mas ele pertence à dona de um bordel, que se apertou de dinheiro e deixou-o aqui, para a venda. E por ser oriundo de um prostíbulo, o vocabulário do bichinho não é dos melhores. Ele, às vezes, diz palavrões.

A senhora não se importa e diz que vai educar o Lourinho novamente.

Quando chega em casa, o papagaio começa:

- Nova casa, nova cafetina...

A senhora ri, enquanto suas filhas chegam da escola. As meninas vêm olhar o papagaio, que logo atropela:

- Nova casa, nova cafetina, novas prostitutas.

As filhas riem e esperam seu pai vir para o almoço, para ver o papagaio.

O douto pai jurista chega em casa, e o papagaio começa de novo:

- Nova casa, nova cafetina, novas prostitutas, mas os mesmos clientes... Olá, meu doutor!...

Fonte: www.espacovital.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário