quinta-feira, 4 de agosto de 2016

NÃO TROPECE NA LÍNGUA


CRASE COM PRONOMES DEMONSTRATIVOS E COM QUE

A crase também ocorre com os pronomes demonstrativos aquele(s), aquela(s) e aquilo. Isso acontece quando a expressão anterior é acompanhada da preposição a, que se aglutina ao a inicial desses pronomes. Pronuncia-se um A só. Na escrita, também fica um A só, mas com acento grave:

Refiro-me a aquele homem. > Refiro-me àquele homem.

Refiro-me a aquela mulher. > Refiro-me àquela mulher.

Não me refiro a aquilo. > Não me refiro àquilo.

Analisemos a mesma frase com o uso dos outros pronomes demonstrativos. Veremos que com eles a crase é impossível, pois não começam pela vogal a: “Não me refiro a isso, refiro-me a esta questão, não me refiro a esse tema”.

Muitas pessoas estranham o acento numa palavra masculina como “aquele”. Vale lembrar que a crase implica duas vogais idênticas, portanto o que conta é a fusão do preposição com a letra a que dá início ao pronome. Vejamos alguns exemplos:

Comprei um vaso semelhante àquele que recebi de presente o ano passado. > semelhante aquele

Todas as minhas taças são iguais àquelas que vovó tinha. > iguais a + aquelas

Cumpre seu papel com respeito absoluto àquilo que de melhor lhe foi transmitido por seus pais. > respeito a + aquilo

Ganhei uma toalha idêntica àquela que me deste no Natal. 

Todos os diretores devem ficar cientes. Comunique o fato primeiro àquele que você considera mais importante. 

O plano é um desafio àquelas convenções estabelecidas no acordo. 

Dirigiu-se àquela moça que vimos ontem no Jornal do Meio-Dia. 

Agradeço a meus pais e àqueles que sempre confiaram em mim. 

Sabes a quem vou escrever? Àquele amigo de infância que se mudou para Olinda quando estávamos na 6ª série. 

Os recursos serão destinados somente àqueles empresários em dia com o IR. 

Prefiro esta proposta àquela.

O auxílio-acidente será devido a partir do dia seguinte ao da cessação do auxílio-doença, quando este benefício anteceder àquele (Lei 8.213/91).

--- A crase está relacionada a um substantivo feminino, como você já falou. Mas vi um à craseado na frente de um “que”. Está correto?  A frase era assim: Espero que você compre uma peça idêntica à que você quebrou. Adroaldo, São José/ SC

Trata-se de caso menos comum; é uso correto. Na verdade, a crase aí ocorre não pelo pronome relativo “que”, mas por causa de um substantivo feminino subentendido, que está oculto justamente porque se pretende evitar sua repetição:

Disse que tinha amor à vida, “à [vida] que tinha antes do acidente”, frisou com pessimismo.

Espero que você compre uma peça idêntica à [peça] que você quebrou.

Ganhou uma moto igual à [moto] que havia comprado um mês antes.

Fonte: www.linguabrasil.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário