segunda-feira, 10 de outubro de 2016

ROMANCE FORENSE

Charge de Gerson Kauer
O “Doutor Óleo de Peroba”

Interior do Paraná. Certo ´advogado´ (ou seria ´adevogado´, assim mesmo com ´e´ para deturpar a palavra?) foi contratado por um cidadão para ingressar com uma ação possessória contra um fazendeiro.

Feita a petição inicial, distribuiu a ação.

Antes que o réu fosse citado, o ´advogado´ desacertou-se completamente com seu cliente (autor), por causa dos honorários contratuais. Por isso, saiu em busca do fazendeiro réu, oferecendo-lhe fazer a defesa que seria assinada por um colega de escritório.

O fazendeiro – ´ingênuo´(?)... – aceitou.

Negócio fechado, o ´advogado´ recebeu a procuração, embolsou os honorários, e, no prazo, a contestação foi protocolada. Em seis longas laudas, uma densa preliminar: inépcia da inicial. Isso mesmo, inépcia da inicial!

O juiz, ao ler o palavrório, ficou indignado, pois conhecia bem a índole do ´advogado´. E distribuiu cópias da inicial e da contestação aos demais corretos advogados da comarca.

O magistrado já aposentou-se, mas conta os fatos. As partes fizeram acordo. Quanto ao ´advogado´, sabe-se que - por “falta de mercado” – fechou seu escritório e realiza, agora, atividades comerciais.

Mas conserva o apelido que ganhou quando constatada a falcatrua ética e legal.

Na comarca é conhecido como o “Doutor Óleo de Peroba”. 

Fonte: www.espacovital.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário