terça-feira, 9 de junho de 2020

AS CONSEQUÊNCIAS DA PERDA DA CHAVE

O casal tentava apimentar a relação sexual, mas acabou tendo que pedir a ajuda da polícia. Depois de acorrentar a mulher na cama, na própria residência do casal, o homem perdeu a chave de um enorme cadeado e não teve como libertá-la. Fez tentativas, usou facas, empregou até mesmo uma tímida serrinha de cortar madeira. 

Tudo em vão, a mulher seguia firmemente presa.

Já eram 7 horas da manhã quando os dois chegaram a um consenso: pedir a ajuda da polícia militar - para onde o homem disparou uma ligação. 

Do outro lado da linha, a telefonista pareceu não acreditar:

- O senhor prende a sua mulher na cama e está nos pedindo ajuda para soltá-la? Como posso estar segura de que não nos está passando um trote? - questionou a agente.

Com a insistência do homem e, a esta altura, a confirmação do pedido pela própria mulher, que implorava no telefone sem fio, a telefonista - depois de confirmar o número pelo identificador de chamadas - direcionou a solução. 

- Vamos despachar uma guarnição ao local, mas vocês ficam advertidos de que serão presos em flagrante se isso for um trote.

Dez minutos, com a chegada de uma guarnição da PM, o inusitado se confirmou. A mulher vestida só de calcinha estava imobilizada - e também furiosa com o marido.

Um agente conseguiu, rápido, a libertação da mulher usando uma serra oportunamente requisitada no quartel dos bombeiros. 

Antes de os policiais se retirarem, perguntaram à mulher se ela queria representar contra o homem. Ela respondeu negativamente. 

Ao fechar a ocorrência, o sargento que chefiava a guarnição escreveu: "Avalio que foi mais uma relação íntima do que uma prisão ilegal". 

Por via das dúvidas, em envelope como timbre "reservado", foi enviada cópia da ocorrência ao juiz da comarca de vara única. 

A vizinhança do casal ficou sabendo do caso e dá risadas até hoje.

Fonte: www.espacovital.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário